Dissertações e relatos de dois taberneiros sobre coisas mundanas...e não só.

15
Set 07

É certo e sabido que as mulheres são criaturas algo difíceis de interpretar/decifrar…

E de agradar? Será que a coisa está mais facilitada, ou até tão digna acção tem contornos de drama?...

 

- “Até amanhã bom amigo, e paciência porque não há nada a fazer…não podemos viver com elas nem sem elas.”


– Despeço-me deste rapaz, casado já faz algum tempo…tempo o suficiente para que a rotina e a cómoda monotonia se tenham instalado na sua morada e no seu coração. Sei que não levei grande conforto á sua alma com as minhas palavras, mas dei-lhe companhia e um ouvido para o desabafo…que convenhamos, pode ser o suficiente em certas ocasiões.

 

O episodio que vos vou passar a relatar, foi me dado a conhecer pela palavra deste homem casado, que numa noite e entre lençóis, se deixou levar pela inspiração e alguma audácia e arriscou rasgar a monotonia que se tinha teimosamente instalado na sua cama.

Levado pelo desejo, e dando a conhecer á sua companheira a sua intenção, este incauto rapaz embarcou mais uma vez no barco do sexo…mas ao contrario de outras viagens, desta vez arriscou mudar de rota e arrepiar caminho por aguas nunca antes navegadas.

Reservo-me o direito de nada mais revelar em termos de pormenores sobre o que se passou entre o casal em tão atribulada jornada, até porque ficaria mal…alem de trair a confiança em mim depositada.

 

(…)

 

Passou-se algum tempo desde a dita noite/viagem, mas a propósito de nada surgiu uma questão por parte da esposa:

 

“Tens outra?”

 

“Não, mas porque perguntas?”

 

“Por nada…”

 

O nosso amigo foi incapaz de deixar tal dúvida suspensa no ar, e aproveitando um momento mais sereno de um qualquer serão, quis saber o porquê de tal questão.

 Não obstante, nunca fiando até porque as mentes das jovens esposas estão contaminadas por uma imaginação extremamente fértil em termos de infidelidades, injectada em base diária por novelas, plenas de promiscuidade e libertinagem.  

 

“Porque raio me perguntaste se eu tenho outra pessoa? Dei-te algum motivo para desconfiares de mim?” – Pergunta muito sensata a meu ver…

 

“Porque andas com umas ideias meio estranhas a meu ver…” – Referindo-se á tal atribulada “viagem”.

 

Em abono da verdade, e também deste relato, devo dar a conhecer a verdadeira fonte da inspiração deste meu amigo em matérias sexuais. Tem o nome de “Pornografia” e passa a horas menos próprias para crianças em alguns canais da famigerada tvcabo.

Não que o homem seja destas coisas, mas o “zapping” televisivo tem destas surpresas…principalmente depois da uma da manhã.

 

Não esperou nem mais um dia e revelou o citada fonte á sua esposa…

 

“…eu vi logo, os homens são todos uns tarados e tu não és excepção.”

 

Ora, em que ficamos? Terá um Homem que se remeter a uma vida sexualmente monótona apenas porque, ao arriscar algo novo, poderá ser acusado de infiel?

Que ideia têm (algumas esposas/companheiras/namoradas) sobre os seus homens, que as leva a crer que se ele, de repente, ao tentar fugir á rotina na horizontal, tem que forçosamente estar sob influência de outra mulher? Nunca terão ouvido falar de “autodidactas” ou “iniciativa própria”?  

E terão os homens do meu Portugal que se abster, fugindo até, de qualquer forma de pornografia, sob pena de ser rotulado de “tarado”, mesmo que seja apenas para fins pedagógicos?

Em que ficamos senhoras???

 

“Não admira que os homens andem sempre ás avessas com as mulheres, ninguém as entende!!! Livra…”


Inocenciodasilva

 

publicado por Inocêncio da Silva às 20:20

Setembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13

16
17
18
19
21

23
24
25
27
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
pesquisar
 
blogs SAPO