Dissertações e relatos de dois taberneiros sobre coisas mundanas...e não só.

28
Set 07

Ficou-me na memória um episódio da minha vida que, pelos motivos que passarei a relatar, me marcou profundamente e moldou a minha forma de raciocinar…

Talvez por ter a taberna entregue aos ventos e ás moscas, alem de o Lazaro ter arrepiado atrás de uma saia que passou pela porta e de me encontrar só, invade-me uma nostálgica melancolia, portanto desculpem-me…

 

Um dia, enquanto comia com amigos e em calma cavaqueira, fui abordado por um homem que me pediu um paivante (cigarro) …este homem já se tinha humildemente acostado a outras bancas com a mesma súplica, com o mesmo desejo, sendo-lhe recusado em todas, de forma mais ou menos educada, ou através da indiferença de alguns quanto á sua simples figura. Mal trajado, apresentava-se com uma farpela de trabalho, suja e gasta, e as suas mãos tinham gravadas a dureza do seu labor, a forma do instrumento com que operava, e rugas que invejavam qualquer crosta de arvoredo…

Pareceu-me um homem bom, apenas punido em demasia pela severidade da vida, pela injusta retribuição de quem trabalha duramente, e tão injusta é que por vezes um ordenado no bolso não chega para levantar o olhar aos demais.

 

- “Desculpe senhor, por acaso não tem um cigarro que me possa dar.”- Pediu-me o mais educadamente que podia e sabia.

- “ Claro, e leve dois…um fica para o caminho até casa.” – Respondi, enquanto estendia o braço com os tão desejados cigarros, ostentando o meu tão característico sorriso.

 

O homem deteve-se ao segurar os cigarros na mão…e chorou ao olhar-me.

Chorou como uma criança, com o mais puro sentimento, com o coração…sabemos reconhecer as lágrimas que brotam do coração quando as vemos, e eu vi.

Sorri apenas, e admirei o poderoso resultado de tão simples acção, que mesmo desprovida de interesse, conseguiu tocar no mais fundo que aquele homem tinha…na alma.

Decerto nunca esperou que o mais jovem macho que se demorava por aquele sítio fosse capaz de tal acção, e superando tudo e todos, mostrou-lhe uma atenção que talvez a vida á muito lhe tinha negado – “ …um fica para o caminho até casa.”.

Aprendi que o mais simples gesto, pode marcar uma vida, pode alterar uma vida, pode mudar o mundo…aprendi que qualquer gesto, palavra, pensamento, feito, dito ou pensado por o mais insignificante ser, move montanhas…

 

Tentou retribuir o meu gesto, e disse-me: - “ Esse seu queixo é o queixo de um homem forte, a forma dele diz isso.” Exclamou ainda entre lágrimas e soluços.

Tentou dar-me algo que pudesse fazer o mínimo de justiça ao meu gesto, e deu-me a conhecer parte da sua sabedoria.

- “O meu queixo…” lembra-me de ficar a pensar enquanto esfregava o mesmo.

Quem me conhece, conhece a minha força nas palavras, gestos e pensamentos, portanto ele tinha razão.

Ou talvez não, talvez estivesse enganado, mas a partir daquela altura comecei a acreditar mais em mim, na minha força, e hoje sou o homem que acabei de descrever.

Dizem que os Anjos usam a boca dos mortais para dar a conhecer mensagens suas a todos os que carecem de indicações…e eu bem precisava de um rumo naquela altura.

 

Não vou entrar em moralismos nem filosofias, mas acredito que as nossas acções têm sempre um retorno, e em triplicado, e desde esse dia tenho vivido com esta máxima no coração e decerto irei leva-la para a campa.

Recordarei eternamente o momento em que um jovem fez um homem adulto chorar com apenas dois cigarros…e dois cigarros foram um preço muito baixo para o que levei em troca: Honestidade, Coragem, Integridade, Altruísmo, Caridade e Bondade…

Eu tinha 20 anos.

 

- “Muito obrigado bom homem, onde quer que estejas…”

 


Inocenciodasilva
publicado por Inocêncio da Silva às 18:36

Curioso...
Confesso que também já me aconteceu uma situação similar,ao invés,de tal sujeito ainda me ter pedido ............ LUME.........
Nem todos esbarramos com pessoas que sabem apreciar a nossa Bondade!
No entanto,meu caro,não creio que consigas sensibilizar os não-fumadores....pois...para estes, tiraste mais dois anos de vida ao trauseante alimentando lhe o famigerado vício e poupaste a tua saúde!!!!! POIS É!
Aquele abraço,
KAIKAS a 1 de Outubro de 2007 às 23:48

Ha muitos anos sai do Shire...deixei para tras lembranças, sorrisos,lagrimas e tristezas,amigos e portas fechadas....senti que sai na altura certa mas sabendoq que tudo o que fazemos tem resultados, que por muitos anos que passem, por vezes so no fim da vida vemos a ponta do nó...admiro muito a nossa amizade,a nossa fraternidade, a tua inteligencia, a tua sagacidade mas acima de tudo o teu coração...e tu sabes disso...
Mas acima de tudo sei, e posso dizer desprovido de qq falsa modestia, que tb tu ja me admiraste muito, seja em palavras ou gestos que eu tenho dito ou feito, seja pelas minhas viagens pela terra media que te relatei...e foram nesses momentos que as duvidas que sempre tive sobre mim se dissipavam...pois tu admiravas-me e eu sentia-me feliz...abençoado sejas por tocares os seres humanos, abençoado sejas por seres tu...Aquele abraço!
tavernacanecadeferro a 5 de Outubro de 2007 às 09:39

Setembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13

16
17
18
19
21

23
24
25
27
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar
 
blogs SAPO